Uma espécie de Covidoração…

Senhor,
Covidizer que a pandemia que nos assola há tanto tempo
teima em não querer ir embora e,
apesar do sucesso das vacinas,
continuam a aumentar os números das pessoas infetadas.
Covidizer que o vírus se reinventa
e aparecem novas variantes cada vez mais perigosas.
Covidizer que a Ciência e os profissionais de saúde
têm feito autênticos milagres
e tens agido neles com sabedoria e amor em favor de todos.
Covidizer que ainda há quem não acredite nesta doença,
fale de uma conspiração internacional
e há mesmo quem opte por não tomar a vacina.
Covidizer que há muitas pessoas que não já não temem
os riscos da pandemia, vivem como se esta doença não existisse
e, de forma egoísta, não cumprem as regras essenciais
e põe os demais em perigo.
Covidizer que vamos ter de nos habituar
a conviver com esta doença durante muitos anos
e que vamos ter de ser cada vez mais perseverantes,
responsáveis e solidários.
Covidizer que já morreram vários milhões de pessoas
em todo o mundo e que há diferenças enormes
entre países pobres e ricos no tratamento desta doença.
Covidizer que o ser humano tomou consciência
da sua fragilidade e finitude, mas facilmente volta
a sentir-se invulnerável e todo-poderoso.
Covidizer que mais do que a imunidade de grupo,
é muito mais importante a humanidade de todos os grupos.
Covidizer que a única cura para a pandemia
que nos massacra é o vírus do Amor.
Covidizer que nos arriscamos a aprender pouco
com esta calamidade planetária e aos poucos
voltaremos a ser, estar, pensar, sentir e fazer como sempre.
Covidizer que nada pode ficar como antes
e que está nas nossas mãos resolver esta pandemia,
se tivermos paciência, coragem e determinação.
Covidizer que apesar do esforço heroico da medicina,
nada será possível sem a tua ajuda, pois nada somos sem Ti.
Covidizer que o teu poder é maior e a tua graça mais forte
do que a nossa pequenez e as nossas limitações.
Covidizer que só Tu és o Caminho, a Verdade e a Vida
e, por isso, sê Companheiro dos nossos caminhos,
afasta de nós o erro e a mentira e dá sentido à nossa existência,
marcada tantas vezes pela doença e pela morte.
Covidizer que nos convidas a ter fé, esperança e caridade
e, por isso, salva-nos desta pandemia e livra-nos de todo o mal.
Covidizer que também podemos recorrer à proteção
da Tua Mãe e, por isso, através dela, que é também nossa mãe,
pedimos-te que não ignores as nossas súplicas
nesta hora dura de provação e livra-nos de todos os perigos.
Amém.

Paulo Costa

Professor de EMRC no Colégio de Lamas

Diariamente lemos o mundo na procura de sentido para encontrarmos a mensagem religiosa necessária para si. Fazemo-lo num tempo confuso que pretende calar o que temos para dizer. Sem apoios da nomenclatura publicitária, vimos dizer-lhe que precisamos de si porque o nosso trabalho não tendo preço necessita do seu apoio para continuarmos a apostar neste projecto jornalístico.

Deixe uma resposta

*