Rota do Românico presente na Bienal AR&PA 2021

A Rota do Românico marca de novo presença na AR&PA — Bienal Ibérica de Património Cultural, que este ano tem como cenário a cidade de Leiria, entre os dias 14 e 17 de outubro.

Subordinada ao tema Jovens e Património, a Bienal AR&PA 2021 conta, como habitualmente, com um vasto conjunto de entidades expositoras do sector (presença digital e física) e com uma alargada programação associada, entre seminários, concertos, performances, oficinas, visitas, exposições e concursos digitais.

No dia 14, quinta-feira, pelas 10h30, a Rota do Românico efetuará uma apresentação dos seus Centros de Interpretação do Românico e da Escultura Românica, no Innovation Point, o espaço online dos expositores da AR&PA.

Durante os quatro dias do certame, no Mercado de Sant’Ana, o Serviço Educativo da Rota do Românico dinamizará atividades para o público escolar e para as famílias.

A AR&PA constitui um ponto de encontro e fórum de debate para profissionais e instituições dedicadas ao Património Cultural. A sua área expositiva, a diversidade de atividades científicas e profissionais e a sua programação social resultam num evento único, referência na Europa.

A Bienal Ibérica de Património Cultural é o resultado da fusão, em 2017, da Bienal de la Restauración y Gestión del Patrimonio AR&PA (pela Junta de Castela e Leão), que acontece em Valladolid desde 1998, com a Feira do Património (pela Spira), evento criado em 2013, em Portugal.

A primeira edição da AR&PA com este formato ibérico teve lugar na cidade de Amarante, entre 13 e 15 de outubro de 2017, tendo a Rota do Românico como entidade promotora.

O evento ocorre de forma alternada entre Portugal (sempre itinerante, nos anos ímpares) e Espanha (em Valladolid, nos anos pares).

A participação da Rota do Românico na Bienal AR&PA 2021, em parceria com a entidade regional de Turismo do Porto e Norte de Portugal, é cofinanciada pelo Norte 2020, Portugal 2020 e União Europeia.

A Rota do Românico reúne, atualmente, 58 monumentos e dois centros de interpretação, distribuídos por 12 municípios dos vales do Sousa, Douro e Tâmega (Amarante, Baião, Castelo de Paiva, Celorico de Basto, Cinfães, Felgueiras, Lousada, Marco de Canaveses, Paços de Ferreira, Paredes, Penafiel e Resende), no Norte de Portugal.

As principais áreas de intervenção da Rota do Românico abrangem a investigação científica, a conservação do património, a dinamização cultural, a educação patrimonial e a promoção turística.

Diariamente lemos o mundo na procura de sentido para encontrarmos a mensagem religiosa necessária para si. Fazemo-lo num tempo confuso que pretende calar o que temos para dizer. Sem apoios da nomenclatura publicitária, vimos dizer-lhe que precisamos de si porque o nosso trabalho não tendo preço necessita do seu apoio para continuarmos a apostar neste projecto jornalístico.

Deixe uma resposta

*