Mulher, Mãe e Rainha- 375 anos de coroação de Nossa Senhora da Conceição padroeira de Portugal

Congresso Internacional reúne especialistas em Fátima para refletir sobre a mariologia, as representações de Maria na arte e na cultura dos povos ocidentais

 

O Instituto da Padroeira de Portugal para os Estudos da Mariologia (IPPEM), em cooperação com o Santuário de Fátima, e com o alto patrocínio da Presidência da República e da Academia Portuguesa de História, organizam o congresso, intitulado: “Mulher, Mãe e Rainha”, para assinalar os 375 anos da Coroação de Nossa Senhora da Conceição como Padroeira de Portugal, em 25 de março de 1646 pelo rei D. João IV.

O Congresso, que se realizará  de 24 a 26 de março, em Fátima, no Centro Pastoral de Paulo VI, será um fórum de estudo abrangente, nas temáticas, nas visões e nas abordagens, através  de diferentes contributos relativos aos estudos da Mariologia, da Teologia e da Bíblia; da Religiosidade Popular; das Associações de Fiéis e das Ordens Religiosas (impulsionadoras em tantos casos, da devoção à Virgem Maria); do Direito Canónico; da Antropologia e da Sociologia, da Arte e da História da Igreja; da História de Portugal e até da História Universal.

O congresso reunirá os nomes de referência nas áreas temáticas enunciadas e está aberto à participação do público em geral, mediante inscrição prévia. Além das autoridades eclesiásticas associadas a este Congresso como o Cardeal D. António Marto, bispo da Diocese de leiria-Fátima e dos arcebispos de Braga e de Évora, D. Jorge Ortiga e D. Francisco Senra Coelho, respetivamente, o Congresso contará com conferências do Presidente do Conselho Pontíficio para a Nova Evangelização, D. Rino Fisichella e do Presidente da Pontifícia Academia Mariológica Internacional, Stefano Cechin.

Os três dias contarão com cinco sessões: Historiografia: estudos sobre um tema maior; Fundamentos Bíblicos e Parenética; Representações Institucionais, plásticas e artísticas; Marcas marianas na cultura dos povos e Religiosidade Popular, discursos teológicos e vivências cultuais.

O congresso esteve previsto para o ano passado, mas em virtude da pandemia foi adiado.

 

Diariamente lemos o mundo na procura de sentido para encontrarmos a mensagem religiosa necessária para si. Fazemo-lo num tempo confuso que pretende calar o que temos para dizer. Sem apoios da nomenclatura publicitária, vimos dizer-lhe que precisamos de si porque o nosso trabalho não tendo preço necessita do seu apoio para continuarmos a apostar neste projecto jornalístico.

Deixe uma resposta

*