A esperança retorna à Terra Santa com a chegada dos primeiros grupos de peregrinos

Os primeiros grupos de peregrinos trazem esperança e vida aos santuários da Terra Santa. Nas palavras de S.B Dom Pizzaballa, Patriarca Latino de Jerusalém, a peregrinação é uma nova forma de evangelização. Depois de um grande esforço por parte do Ministério da Saúde e do Ministério do Turismo de Israel, os lugares santos começaram a sentir novamente a presença dos peregrinos .


Fr. CARLOS MOLINA, ofm
Diretor da Casa Nova – Nazaré

É uma grande alegria ver novamente a Terra Santa com a presença de peregrinos. Os esperamos aqui. Os peregrinos trazem vida aos santuários e também animam e sustentam os cristãos locais.

 

Visitar os santuários e conhecer as várias realidades locais

 

Na primeira semana de julho, um grupo organizado pela Obra Roma de Peregrinações , que é uma atividade do Vicariato de Roma, órgão da Santa Sé, chegou a Jerusalém com um objetivo muito específico: visitar os santuários e entrar em contato com as várias realidades locais. Também em peregrinação, O cardeal Enrico Feroci, com um grupo de guias e jornalistas.

No encontro com o Patriarca Latino de Jerusalém, na sede do patriarcado, S.B. O Arcebispo Dom Pizzaballa, definiu a Peregrinação como uma nova forma de Evangelização. A base é uma motivação espiritual. E não pode prescindir de uma experiência com a Palavra de Deus aqui, onde o Verbo se fez carne. Dom Pizzaballa também falou sobre os vários aspectos e desafios das comunidades cristãs na Terra Santa.

Seguindo pelas vielas da cidade antiga de Jerusalém, outro encontro, desta vez com Fr. Dobromir Jasztal, Vigário da Custódia da Terra Santa. Na apresentação sobre a Custódia, Fr. Dobromir reforçou os 800 anos da presença franciscana no Oriente Médio. Hoje, a Custódia é uma comunidade internacional com 271 frades de 50 nacionalidades, que guardam os lugares santos com a acolhida aos peregrinos, paróquias e mantêm um grande serviço assistencial aos cristãos locais, oferecendo, além do apoio espiritual, trabalho, educação, saúde, moradia entre outras atividades para os mais necessitados.

 

Assista ao vídeo

 

“Se Cristo não ressuscitou, vã seria a nossa fé”

Na tarde da terça-feira, o grupo fez a entrada solene na Basílica do Santo Sepulcro com o antigo rito de recepção aos peregrinos. Fr. Sinisha, da Custódia da Terra Santa, deu as boas-vindas ao grupo.

S.E. Cardeal ENRICO FEROCI

Pároco da Paróquia Santa Maria do Divino Amor 

“Este lugar é sempre um lugar que fala por si, muitas vezes eu me ajoelhei e coloquei minha cabeça naquela pedra que recebeu o corpo de Cristo. São Paulo diz, que se Cristo não tivesse ressuscitado, vã seria a nossa fé. Portanto, este é um ponto fundamental e central da nossa experiência. Sinto também, que este é um momento de esperança e de alegria interior, no agradecimento pelo que o Senhor fez e faz por nós”.

Nas palavras S.E Cardeal Enrico Feroci, emoção e alegria: São João diz: “ Vimos com os nossos olhos e tocamos com as mãos e vos anunciamos para que a vossa alegria seja plena”. Esta é a nossa alegria, porque Cristo ressuscitou e dá confiança e esperança à nossa vida, à nossa existência.

 

Mas ainda são muitos os desafios

  1. REMO CHIAVARINI

Administrador delegado da Obra Romana Peregrinações

A última vez que estivemo na Terra Santa foi em fevereiro do ano passado, agora retornamos com grande alegria, com grande surpresa, com grande emoção. Tenho convicção de que em breve os peregrinos retornarão em grande número e que, nesse meio tempo, também aqueles cuidados relacionados à saúde, que infelizmente tornaram a vinda um pouco cansativa, irão se dissolver um pouco”.

Entre a visita à Basílica da Natividade, em Belém e o Cenacolino, em Jerusalém, o grupo também visitou o centro de comunicação da Custódia, onde está o Christian Media Center . Poucos dias para visitar os lugares santos, mas também para cumprir os protocolos de saúde, respeitando sempre as exigências de cada país.

Em Nazaré, a celebração da Santa Missa em homenagem a São José, foi na Igreja da Nutrição, com a entrega da imagem de Nossa Senhora do Loreto, à igreja.

 

 Lurdinha Nunes/ fr. George Paolo Jallouf

Diariamente lemos o mundo na procura de sentido para encontrarmos a mensagem religiosa necessária para si. Fazemo-lo num tempo confuso que pretende calar o que temos para dizer. Sem apoios da nomenclatura publicitária, vimos dizer-lhe que precisamos de si porque o nosso trabalho não tendo preço necessita do seu apoio para continuarmos a apostar neste projecto jornalístico.

Deixe uma resposta

*