7 Motivos que mostram que o feminismo é incompatível com o Cristianismo

«Quanto às mulheres idosas, semelhantemente, que sejam sérias em seu proceder, não caluniadoras, não escravizadas a muito vinho; sejam mestras do bem, a fim de instruírem as jovens recém-casadas a amarem ao marido e a seus filhos, a serem sensatas, honestas, boas donas de casa, bondosas, sujeitas ao marido, para que a palavra de Deus não seja difamada.» (Tito 2:3-5)

Antes de mais nada, convém esclarecer que não sou contra as mulheres trabalharem fora, estudarem ou realizarem-se profissionalmente, e que não defendo que isso seja absolutamente incompatível com a missão de ser mãe e esposa.

Contudo, segundo o feminismo, uma mulher jamais poderá obedecer às instrucções bíblicas, pois, cuidar da casa, do marido e dos filhos, bem como educar, ensinar e corrigir – a tempo inteiro – é um papel inferior que a mulher deve rejeitar.

Infelizmente, é fácil constactar que a influência do feminismo na sociedade e a consequente diabolização do papel da mulher na família, na igreja e na sociedade, tem trazido mais mal do que bem.

Não há como negar que as propostas do feminismo quanto à igreja, ao Evangelho e a Cristo, afrontam os pressupostos defendidos pelas Escrituras e anulam o complementarismo – não o igualitarismo – ensinado pelos autores bíblicos. Senão, vejamos:

 

1 – O feminismo defende que a mulher é dona do seu corpo e, por isso, tem o direito de matar [abortar] o filho que se desenvolve no seu ventre, sempre que não o deseje.

2- O feminismo promove e incentiva o ódio contra os homens, instigando as mulheres a acreditarem que todos os homens são machistas violentos e potenciais violadores.

3- O feminismo exige que as mulheres se libertem dos valores judaico-cristãos, que consideram machistas, convocando-as a abandonar qualquer limite moral consagrado nas Escrituras.

4- O principal objectivo do feminismo é destruir a família. Para isso, tem vindo a desconstruir o papel do homem e da mulher na construção e manutenção do lar, conforme estabelecido nas Escrituras.

5- O feminismo afirma que o papel da mulher no lar a inferioriza e que, para ser igual ao homem, ela tem que abandonar os seus papéis de dona de casa, esposa e mãe. As Escrituras, pelo contrário, ensinam que homens e mulheres são iguais diante de Deus, mas que têm diferentes papéis na família, na igreja e na sociedade.

5- O feminismo rejeita a autoridade de Deus sobre a Sua criação, opondo-se aos conceitos de feminilidade estabelecidos nas Escrituras.

6- O feminismo, braço armado do marxismo cultural, reinterpretou a sexualidade feminina e incentiva as mulheres a viverem de forma promíscua e libertina, fora dos padrões estabelecidos por Deus.

7- O feminismo propõe uma releitura da Bíblia sob a óptica feminista, desconstruindo assim qualquer pressuposto quanto à liderança masculina na família, na igreja e na sociedade, estabelecido nas Escrituras

Como escreveu a Ana Caroline Campagnolo:

“O feminismo é, ao mesmo tempo, uma experiência, um método e um fim, todos perversos. Os seus caminhos de legitimação vêm destruindo crianças, casais e famílias inteiras desde o início do século XX.”

 

Maria Helena Costa * Escritora * Cristã Evangélica

 

Diariamente lemos o mundo na procura de sentido para encontrarmos a mensagem religiosa necessária para si. Fazemo-lo num tempo confuso que pretende calar o que temos para dizer. Sem apoios da nomenclatura publicitária, vimos dizer-lhe que precisamos de si porque o nosso trabalho não tendo preço necessita do seu apoio para continuarmos a apostar neste projecto jornalístico.

Deixe uma resposta

*