Endireitar o caminho

1. No segundo domingo do Advento São Lucas (Lc 3, 1-6; ano C) apresenta-nos o grande profeta João Batista com uma proposta vigorosa de preparação para acolhermos Jesus no Natal: ”endireitai o caminho do Senhor”. Realmente, o Senhor vem ao nosso encontro mas, para nos encontrarmos com Ele, precisamos de endireitar o caminho, o estilo de vida. A necessidade de prepararmos este encontro não é uma ideia ou zelo pessoal deste enérgico profeta. É iniciativa de Deus, como esclarece o evangelho: “A Palavra de Deus foi dirigida a João”. Este apelo chega hoje também a nós. Para preparar o Natal e vivê-lo segundo o projeto de Deus, preparemos o caminho do Senhor na nossa vida e no nosso meio. De facto, São Lucas situa o anúncio e a preparação do Natal nas coordenadas históricas da sociedade da altura, referindo o imperador romano da época (15º ano do império de Tibério César) e outras autoridades políticas e religiosas, para nos dizer que Jesus vinha também para a sociedade como fermento de transformação do mundo. O Império romano haveria de passar mas o reino de Deus inaugurado por Jesus continuará e estender-se-á ao mundo inteiro como caminho para a paz, a justiça, a igualdade, a liberdade, a fraternidade e a alegria. É este caminho que João Batista vem preparar. Mais tarde, Jesus elogiará este grande profeta como uma pessoa austera, coerente, corajosa e livre na sua pregação e nas suas atitudes. Pelo seu estilo de vida e pela sua pregação, João Batista era uma voz que a todos impressionava e que todos respeitavam, incluindo o próprio rei Herodes que o mandou degolar. A forma como este profeta vivia dava força à sua mensagem.
2. Pela voz de João ainda hoje o Senhor nos adverte: “Endireitai o caminho do Senhor …Convertei-vos)”. A nossa tendência é seguir o caminho das nossas conveniências e vaidades. Converter-se é decidir-se pelo caminho proposto por Jesus e por Ele percorrido, o caminho da paz e da igualdade, da liberdade e da fraternidade, do serviço e da alegria. Seria pensar erradamente que só os grandes pecadores, como o Filho Pródigo da parábola, é que necessitam de se converter. A verdade é que todos somos pecadores e todos precisamos de nos converter. Só Deus conhece a fé e o pecado de cada um. Quando nos consideramos justos e melhores do que os outros, caímos no pecado da autossuficiência farisaica. Todos necessitamos de endireitar com frequência o caminho da vida pois muitos ventos contrários e tempestades nos impelem para desvios. Fomos batizados na água e no Espírito Santo. Mas não estamos dispensados da penitência ou da conversão de fala o profeta Isaías e João Batista.
3. No Avento, o Senhor abre para nós um caminho de salvação para prepararmos o encontro mais profundo com Ele. Pede a nossa colaboração para nos despojarmos de nós mesmos e vencer os obstáculos que dificultam ou impedem esse caminho. É a recomendação que nos é dirigida neste segundo domingo: “altear os vales”, vencer a mediocridade, a indiferença, o desânimo, a ausência de caridade; “abater os montes” do nosso orgulho, inveja e autossuficiência; “aplanar as veredas escarpadas”, revestindo-nos de humildade, proximidade e abertura aos outros. Deste modo, o Natal iluminará a nossa vida e irradiará à nossa volta.
D. Manuel Pelino * Bispo emérito de Santarém

Diariamente lemos o mundo na procura de sentido para encontrarmos a mensagem religiosa necessária para si. Fazemo-lo num tempo confuso que pretende calar o que temos para dizer. Sem apoios da nomenclatura publicitária, vimos dizer-lhe que precisamos de si porque o nosso trabalho não tendo preço necessita do seu apoio para continuarmos a apostar neste projecto jornalístico.

Deixe uma resposta

*