Terra Santa: “A beleza salvará o mundo”

A beleza salvará o mundo!  Este foi o tema da homilia do Dom Giacinto Marcuzzo na  solenidade de Santa Clara em Jerusalém. Atualmente a comunidade das clarissas, com um rosto internacional, é formada por irmãs da Itália, da França, da Ruanda e da Argentina.

 

 

Em 7 de maio de 1888, partindo de Nazaré, um grupo de clarissas chegou à Cidade Santa para fundar um novo mosteiro. O mosteiro está localizado na estrada que liga Jerusalém a Belém. A presença das Clarissas com a sua vida orante e contemplativa é uma semente de paz entre os dois povos e as religiões que habitam a Terra Santa.

No dia 11 de agosto, quando toda a Igreja celebra Santa Clara, em Jerusalém, no mosteiro das Clarissas, a missa foi presidida por Dom Giacinto Marcuzzo, vigário do Patriarcado latino de Jerusalém com os franciscanos e representantes das diversas comunidades religiosas. A beleza salvará o mundo!  foi o tema da homilia de Dom Marcuzzo.

 

Assista ao vídeo

 

 

DOM GIACINTO MARCUZZO

Vigário  Patriarcal  Latino- Jerusalém

Cada vez que celebramos a festa de um grande santo, um grande campeão da santidade, nos vem à mente a famosa expressão de Dostoiévski: “A beleza salvará o mundo”. Que beleza ? a beleza não somente física ou de uma paisagem, de uma pessoa, de um pensamento, de uma tese, mas sobretudo a beleza da santidade e da caridade. A beleza que leva até Deus como diz Santo Agostinho. Que leva à transcendência ao Absoluto e é isso que salvará o mundo e o homem. Os santos o fizeram de maneira excepcional, principalmente São Francisco e Santa Clara, por quê ?  Porque a vida deles é bela. É bela a partir da sua proporção, da sua coesão, da sua unidade com a missão da Igreja e com o tempo em que viveram.

DOM GIACINTO MARCUZZO

Vigário  Patriarcal  Latino- Jerusalém

Esperamos também hoje, quando vivemos um florescimento de novas comunidades no mundo; no Brasil, na América, na Itália, na França e em várias partes do mundo, que a Igreja saiba discernir qual está verdadeiramente de acordo com o espírito do Evangelho, segundo a necessidade da Igreja, a necessidade que o Espírito quer para este tempo e lugar.

Irmã Maria di Nazaré

Superiora do convento das Clarissas de Jerusalém

Gostaria de compartilhar a alegria desta grande festa. Celebrar todos os anos Santa Clara de Assis é celebrar esta beleza que salvará o mundo, como recordou o Bispo na homilia. A beleza que vai salvar o mundo na face de Santa Clara. A beleza desta mulher que se entregou totalmente ao Senhor, uma beleza que nunca envelhece, que é sempre jovem, sempre verdadeira, porque entregou a sua vida totalmente ao Senhor,

Ir. Maria di Nazaré confirma também a oração de intercessão das clarissas por todo o mundo neste tempo de pandemia.

Irmã Maria di Nazaré

Superiora do convento das Clarissas de Jerusalém

Os tempos de Santa Clara e os de hoje são semelhantes: não eram tempos tranquilos, não eram tempos fáceis. Como Santa Clara fez na Idade Média, nós também fazemos hoje nesta época de pandemia, de incertezas. A resposta, está na oração, está em um Deus presente nós  e que nos diz para não termos medo, Uma vez santa Clara ouviu  a voz de Jesus lhe dizendo: “Eu sempre irei protegê-la. Não tenha medo, e é isso que rezamos e dizemos hoje não tenham medo!”

 

Lurdinha Nunes- Jerusalém (Correspondente na Terra Santa)

Diariamente lemos o mundo na procura de sentido para encontrarmos a mensagem religiosa necessária para si. Fazemo-lo num tempo confuso que pretende calar o que temos para dizer. Sem apoios da nomenclatura publicitária, vimos dizer-lhe que precisamos de si porque o nosso trabalho não tendo preço necessita do seu apoio para continuarmos a apostar neste projecto jornalístico.

Deixe uma resposta

*