O início do outono e a colheita das olivas no Jardim do Getsémani

No início do outono, a colheita das olivas ou (azeitonas) começa no Jardim do Getsémani. O Jardim das Oliveiras continua sendo um dos lugares mais visitados e amados em Jerusalém pelos peregrinos católicos, mas também por aqueles de outras confissões cristãs.

 

 

 

O convite de Jesus: “Ficai aqui e vigia comigo”, relatado por São Mateus, atravessa os séculos e chegou aos nossos dias. O Jardim das Oliveiras continua sendo um dos lugares mais visitados e amados em Jerusalém pelos peregrinos católicos, mas também por aqueles de outras confissões cristãs. O início do outono é uma época especial, porque é a época da colheita das olivas.

 

Um estudo sobre as Oliveiras do Getsémani, coordenado pela Custódia da Terra Santa, mostrou que os seus troncos e ramos têm cerca de 900 anos, o que as coloca entre as mais antigas oliveiras que se tem conhecimento. O estudo também mostrou que as oliveiras pertencem a uma única variedade original e todas têm o mesmo DNA, o que significa que foram propagadas por ramos de um único tronco.

 

( assista ao vídeo)

https://www.cmc-terrasanta.com/pt/media/terra-santa-news/24500/o-in%C3%ADcio-do-outono-e-a-colheita-das-olivas-no-jardim-do-gets%C3%AAmani

 

Fr. BENITO CHOQUE, ofm

Superior – Getsémani

“Depois da festa do Seráfico Pai São Francisco, a fraternidade do Getsémani convida os consagrados, os leigos e os fiéis locais a colher as olivas do Santo Jardim. Estas oliveiras são as testemunhas silenciosas da agonia do Senhor na noite da Quinta-feira Santa.

E o azeite obtido dessas olivas é prensado por uma família de Belém, tradição que já existe há vários séculos. ”

 

Fr. BENITO CHOQUE, ofm

Superior – Getsémani

“Este óleo é usado na Quinta-feira Santa durante a Missa Crismal. O patriarca preside a Eucaristia no Santo Sepulcro, onde são abençoados o óleo dos enfermos, o óleo dos catecúmenos e do crisma, que depois é distribuído pelas várias paróquias da Diocese.

É uma grande alegria para nós guardar este Lugar Santo, de onde pedimos ao Senhor o dom da paz. Este trabalho é uma oferta, é uma oração que fazemos por todos os portadores de coronavírus e também por todos os peregrinos de todo o mundo que esperam voltar para visitar os lugares da nossa Redenção e este Santo Lugar do Getsémani.

 

Tocar nessas oliveiras plenas de histórias certamente oferece uma grande emoção.

 

Lurdinha Nunes * Correspondente na Terra Santa

 

Diariamente lemos o mundo na procura de sentido para encontrarmos a mensagem religiosa necessária para si. Fazemo-lo num tempo confuso que pretende calar o que temos para dizer. Sem apoios da nomenclatura publicitária, vimos dizer-lhe que precisamos de si porque o nosso trabalho não tendo preço necessita do seu apoio para continuarmos a apostar neste projecto jornalístico.

Deixe uma resposta

*