Ser compreensivo e acolhedor para quem erra

Facilmente criamos barreiras em relação aos outros, porque não são do nosso grupo, clube, escola, partido, país ou religião. Os preconceitos funcionam como óculos através dos quais vemos e julgamos os outros. Não os consideramos simplesmente diferentes, mas inferiores a nós. Pensamos que somos melhores do que eles. Este tipo de atitude fecha-nos em nós mesmo e entre nós, impedindo-nos de fazer pontes em relação aos outros.

Satisfaz-te este estado de coisas e este tipo de comportamento? Certamente, que não. E como deve ser o comportamento de um cristão? O que nos ensina Jesus? Ele ama a todos e da a cada uma possibilidade de o seguir e fazer parte dos seus amigos.

No dia 21 de setembro, na festa do apóstolo S. Mateus, no seu evangelho, no capítulo 9, versículos 9-13, ouvimos o relato do encontro e chamamento de Jesus. Mateus não era uma pessoa de boa fama na comunidade dos judeus devido à sua profissão: cobrador de impostos a favor de Roma, a potência ocupante. Jesus vai além desse preconceito, olha-o com misericórdia e convida-o a segui-lo. Com surpresa de todos, Mateus deixa tudo e vai com ele. Jesus vai ainda mais longe: participa numa refeição em casa de Mateus em que os convivas são gente do tipo do novo discípulo e dos considerados pecadores. Os que se consideravam mais religiosos e cumpridores ficam escandalizados com Jesus. Ele responde-lhes dizendo que quem mais necessita do médico são os doentes e não quem está de boa saúde. E, citando a palavra de Deus “eu prefiro a misericórdia ao sacrifício”, declara que não veio chamar os justos mas os pecadores. O seu interesse está centrado principalmente nos que estão à margem, nas periferias, nos maus caminhos, os mais afastados de Deus. É sobretudo para esses que Ele veio, a fim de os atrair para Deus e lhes inspirar um novo estilo de vida.

Se queres ser dos discípulos de Jesus, deixa-te encontrar e amar por ele através do Evangelho. Não importa o que foste ou o que és. Ele ama-te assim como és. Se aceitares o seu chamamento, Ele transforma a tua vida e ensina-te a viver no amor e a agir e relacionar-te por amor a todo o teu próximo. Com ele tornas-te capaz de derrubar fronteiras e criar pontes com quem é diferente.

Se receberes a sua misericórdia, és fortalecido nas tuas fragilidades e mesmo as tuas fraquezas são superadas e curadas. Como teve misericórdia com Mateus, assim o faz em relação a quem erra. Para ele é sempre possível corrigir o rumo de vida. Ele nos ensina e dá força para ter misericórdia em relação a quem erra e leva-nos a dar-lhe a mão para passar a viver e agir retamente segundo o bem.

Assim nos ensina Jesus a viver na relação com os outros: derrubar barreiras e preconceitos e construir pontes para o encontro e a fraternidade universal. Do mesmo modo, Chiara Lubich e o movimento dos Focolares nos ensinam a amar a todos, dando o primeiro passo. Este é o caminho para construir a unidade e a fraternidade com todos.

Agarra então este desafio: sê compreensivo, misericordioso e acolhedor para quem erra.

 

P. Jorge Guarda * Vigário geral * Diocese de Leiria-Fátima

Diariamente lemos o mundo na procura de sentido para encontrarmos a mensagem religiosa necessária para si. Fazemo-lo num tempo confuso que pretende calar o que temos para dizer. Sem apoios da nomenclatura publicitária, vimos dizer-lhe que precisamos de si porque o nosso trabalho não tendo preço necessita do seu apoio para continuarmos a apostar neste projecto jornalístico.

Deixe uma resposta

*