“Presépio ao vivo de Priscos: um projeto de causas e pessoas”– XV Edição

Há quinze anos, que a Paróquia de São Tiago de Priscos, da Arquidiocese de Braga organiza um Presépio ao Vivo. Com o principal objetivo de proporcionar aos visitantes um encontro com o mistério do Natal. Dia 12 de Dezembro, às 15h00 será a inauguração com a presença de Filomena Teixeira, a mãe de Rui Pedro, o jovem desaparecido de Lousada há 23 anos.

 

Este ano, na XV edição do Presépio ao vivo de Priscos, queremos lembrar todas as crianças desaparecidas no mundo, nomeadamente em Portugal. O objetivo desta iniciativa é encorajar a população e a comunicação social a refletir sobre todas as crianças que foram dadas como desaparecidas, espalhar uma mensagem de esperança e solidariedade no plano internacional para os pais e restantes famílias que vivem esta problemática, levar as autoridades a refletir na prevenção, nas estratégias a implementar em colaboração com as entidades responsáveis pela Educação, pela Justiça e pela Segurança, como refere o Instituto de Apoio à Criança. Em Portugal desaparecem diariamente em média duas crianças ou jovens até aos 18 anos. A maioria é recuperada mas infelizmente não são todos. Basta lembrar: o Rui Pedro, a pequena Olívia, o Hélder, a Madeleine, e tantas outras crianças das quais tragicamente só sabemos o seu início, mas fatalmente não sabemos do seu paradeiro.

 

Pelo menos 250.000 crianças desaparecem na Europa todos os anos, de acordo com a Comissão Europeia. Até 60% dessas crianças são adolescentes fugitivos que fogem de abusos ou conflitos em casa – e geralmente são encontrados. Os sequestros dos pais também são responsáveis ​​por algumas das crianças desaparecidas.

 

Desde o início, em 2006, concebemos um espaço de 30.000 m2, com mais de 90 cenários e 600 figurantes. Procuramos transmitir o coração mais profundo do presépio. Colocar Deus Menino no primeiro lugar sem o folclore das cidade natal, com as suas coreografias publicitárias, os seus aparatos de luzes e de presentes e os seus rituais comerciais. Temos um presépio ao vivo, representativo do presépio tradicional, com ritmos e rotinas do quotidiano hebraico e romano – labores e costumes – que recriam uma moldura cenográfica de um povo, num despojamento fantasioso da época do nascimento de Jesus e submetido ao poderoso Império Romano.

 

As construções são feitas com paixão e inteligência pelos paroquianos da aldeia de  Priscos que oferecem o seu tempo, habilidades e competências, Sem o povo de priscos não havia este Presépio ao Vivo… eles no meio dos muitos afazeres conseguem  colocar  o seu talento,  a sua energia e conhecimento ao serviço deste sonho, que é contar a verdadeira história do natal…

 

Contamos também com a ajuda preciosa dos reclusos do Estabelecimento Prisional de Braga. A presença dos reclusos enquadra-se no projeto MAIS NATAL – PRISCOS, vencedor do orçamento participativo de 2015, 2016 e 2018 do Município Braga. Este projeto incide sobre a dignificação e humanização dos reclusos visando a reinserção social, designadamente através do trabalho e da interação com a comunidade de Priscos.

 

O Presépio Vivo de Priscos é visitado por pessoas que vêm de todas as regiões de Portugal e também do exterior, nomeadamente de Espanha. O nosso maior desafio é fazer com que os visitantes vivam algumas horas de pura emoção nos cantos e recantos da nossa aldeia, experienciem um ambiente verdadeiramente de sonho e mostrem aos seus filhos uma fantástica e indelével recordação do Natal.

 

O presépio terá novamente a participação de uma muçulmana.  Esta participação é um dos frutos da “Aldeia das Religiões” realizada em 2012, no âmbito da Capital Europeia da Juventude. O diálogo entre cristãos e muçulmanos vivido nesse evento tem produzido ao longo dos anos, um “melhor entendimento e conhecimento mútuo”.

 

Os  horários e dias de abertura do Presépio ao vivo de Priscos.

DEZEMBRO de 2021

12 DEZ – 15h00 às 18h30

19 DEZ – 15h00 às 18h30

26 DEZ – 15h00 às 18h30

 

JANEIRO de 2022

02 JAN – 15h00 às 18h30

08 JAN – 20h00 às 22h30

09 JAN – 15h00 às 18h30

 

Nesta edição implementaram-se medidas anti Covid-19 como: o acesso ao evento será permitido apenas a sujeitos com Certificado Digital Covid-19 da União Europeia (UE) ou teste negativo; o acesso à área do evento é permitido apenas a pessoas com máscara em bom estado e o visitante deve usar a máscara enquanto espera para entrar na área do evento e em todo o percurso do Presépio. Não é permitido comer ou beber, fumar no espaço do presépio. Haverá controle de fluxo de visitantes. No início e no final do evento, as instruções do pessoal de segurança devem ser rigorosamente seguidas  para o cumprimento dos procedimentos de entrada e saída e para todos os movimentos.

 

O acesso ao Presépio ao Vivo é permitido apenas com reserva obrigatória, limitada à disponibilidade de lugares nos dias e horários estipulados. As pré-marcações de visita só se fazem para grupos superiores a 10 elementos (ex. operadores turísticos) e devem ser feitas por e-mail (presepiovivopriscos@gmail.com) ou contacto telefónico (918 800 360) em dias úteis das 09h30 às 19h30 e aos sábados das 10h00 às 14h00. Todas as entradas serão solidárias. As crianças até 16 anos a entrada é livre e os adultos pagam 5 estrelas.

 

Este projeto comunitário regido por valores cristãos tem a missão de abrir espaço e criar condições para que cada membro da comunidade paroquial encontre a sua identidade e o seu papel para se tornar construtor de uma sociedade mais digna e justa onde a Vida de cada ser humano é amada, respeitada, defendida e promovida em todas as etapas e em todas as suas dimensões.

 

O design da edição deste ano, assim como o website do Presépio de Priscos foi construído pelo iraniano Mohammad Bagheri da empresa Moe’s Consulting. A imagem e fotografia é da responsabilidade do fotojornalista da Agência WAPA e da Agência Lusa, Hugo Delgado.

 

 

P.s. Fotos do fotojornalista Hugo Delgado, Agência WAPA

 

P. João Torres * Pároco de Priscos * Braga

 

 

 

Diariamente lemos o mundo na procura de sentido para encontrarmos a mensagem religiosa necessária para si. Fazemo-lo num tempo confuso que pretende calar o que temos para dizer. Sem apoios da nomenclatura publicitária, vimos dizer-lhe que precisamos de si porque o nosso trabalho não tendo preço necessita do seu apoio para continuarmos a apostar neste projecto jornalístico.

Deixe uma resposta

*