Vox

Há anos aprisionada em meu corpo, na voz
embargada que se esvai, na mão paralisada
que se defende e julga inapta, no coração
que fraqueja e oculta. Voas agora, trémula
mas fulgurante como um pássaro azul
no primeiro voo. Toda a liberdade contida
entre duas pequenas asas que alcançam
todo o universo. Posso não ter visto o mundo
inteiro nem conhecido todas as coisas,
mas vivo inteiro naquilo que sou e o meu canto
e eu somos um só.
Horácio Lopes * Médico dentista * Paris * França

Diariamente lemos o mundo na procura de sentido para encontrarmos a mensagem religiosa necessária para si. Fazemo-lo num tempo confuso que pretende calar o que temos para dizer. Sem apoios da nomenclatura publicitária, vimos dizer-lhe que precisamos de si porque o nosso trabalho não tendo preço necessita do seu apoio para continuarmos a apostar neste projecto jornalístico.

Deixe uma resposta

*