Vem, Senhor Jesus!

Natal é nascimento. Se Jesus não nasce ou se nós não renascemos para Ele, não há Natal. Há prendas, presépios, iluminações, banquetes, doces, etc. mas não há verdadeiro Natal. Preparar em Advento o Natal é algo essencial à vida cristã, à família, à paróquia. Tomemos a sério esta preparação, façamos caminhada de conversão, preparemos um presépio no coração.

 

1º Vem aí a Luz. Jesus é a Luz do mundo. Natal é o nascimento dessa Luz. Noite luminosa, como diz S. Lucas. Mas “as trevas não deram lugar à Luz” como afirma S. João. Há trevas em nós, na família, na escola, no emprego, na sociedade. Trabalhar as trevas (conversão) para dar lugar à Luz. E para sermos Luz para os outros. Quais são as minhas, as nossas trevas, que nos impedem de receber a Luz e que haja verdadeiro nascimento de Jesus?

2º Vem aí o Amor. Jesus é Deus-Amor, Verbo do Pai. Vem por amor, vem para amar-nos, vem para nos ensinar a amar. Viver o Advento amando mais e melhor, dinamizando o coração ao amor, para preparar bem o Natal. Amar a família, amar no emprego, amar os mais pobres, amar… Como posso e devo viver o Advento nesta dimensão de mais e melhor amor? Que posso e devo fazer concretamente?

3º Vem aí o Salvador. Jesus como Salvador, vem para curar, salvar, converter. Somos todos doentes que precisamos, em muitos aspetos, de sermos curados. O Advento vivido nesta perspetiva de cura de doenças espirituais nos ajudará a viver verdadeiro Natal. Quais são as minhas doenças espirituais? Como posso colaborar para ser curado? Só assim estarei preparado para celebrar Natal.

4º Vem aí o Libertador. O povo judeu esperava há milhares de anos o Messias que libertaria dos inimigos, e na altura do nascimento de Jesus, dos Romanos e seu poder. Todos precisamos de ser libertados das diversas amarras que nos prendem, não nos deixam ser livres: medo, dinheiro, prazeres, etc. Quais são as cadeias que me prendem? Onde preciso de me libertar mais para viver o Natal mais livre e mais feliz?

5º Vem aí o Senhor, o Rei, mas pobre e humilde. Custa-nos muito contemplar o presépio pobre e humilde. Um Deus pobre humilde. Um Rei e Salvador pobre e humilde. Um curral de animais, uma manjedoura…com tudo o que isso implicou. Como viver o Advento procurando pobreza e humildade de coração, de sentimentos? Como acolher a pobreza e humildade do Menino Deus?   

                                                                                           Advento e Natal de 2021

P. Dário Pedroso * Jesuíta * Lisboa

                                                                                                       

Diariamente lemos o mundo na procura de sentido para encontrarmos a mensagem religiosa necessária para si. Fazemo-lo num tempo confuso que pretende calar o que temos para dizer. Sem apoios da nomenclatura publicitária, vimos dizer-lhe que precisamos de si porque o nosso trabalho não tendo preço necessita do seu apoio para continuarmos a apostar neste projecto jornalístico.

Deixe uma resposta

*